O Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo conta professores majoritariamente graduados na área de arquitetura e urbanismo, mas com formação de pós-graduação obtida em outros campos disciplinares. Os professores não arquitetos são oriundos de campos com grande afinidade com as linhas de pesquisa desenvolvidas no programa. Tal característica procura atender a demanda por transdisciplinaridade do espaço construído amazônico. Os grupos de pesquisa e laboratórios que alimentam as linhas de pesquisa contam com produção acadêmica registrada sob a forma de artigos científicos, capítulos de livros e livros, disponibilizada em páginas dos laboratórios, também divulgada sob a forma de exposições palestras e entrevistas realizados fora do ambiente universitário, e de eventos promovidos no programa, mas abertos à comunidade. Além da divulgação pública de resultados, os pesquisadores têm adotado estratégias de devolução de resultados para comunidades que foram objeto de levantamento de campo, com o objetivo de contribuir para a redução de desigualdades sociais.

O PPGAU já titulou diversos profissionais que são vinculados ao setor público (tais como TRE, CAIXA, PMB, IPHAN) e professores de instituição de ensino superior públicas e privadas (tais como UFOPA, UFT, IFPA, UNIFAP, UFRR,  UNAMA, Estácio, Devry, FAMAZ).

Há uma tradição histórica de convênios firmados entre a UFPA e outras instituições públicas, para desenvolvimento de ações de extensão e pesquisa no âmbito dos laboratórios vinculados ao programa. Nesta categoria estiveram parceiras com prefeituras municipais, para desenvolvimento de planos diretores e planos setoriais (ex.: saneamento, mobilidade), alguns deles com financiamento federal (Ministério das Cidades, Eletronorte, Unifesspa), estadual (Governo do Estado do Pará), e privado (Fundação Ford, Fundação Vale). Tais ações viabilizaram o desenvolvimento de dissertações (custeando pesquisas de campo e experimentos), e permitiram uma forte aderência das pesquisas à realidade local, com efetiva contribuição ao estado da arte do conhecimento no campo da Arquitetura e Urbanismo na região.

Graças à essa consolidação de conhecimentos, os professores do programa têm sido acionados para compor comitês científicos de eventos nacionais de realização regular (tais como Enanparq, Enanpur, Urbfavela, SIMPGEO, Projetar, DOCOMOMO) e internacionais (WPSC), de juris (Prêmio ANPARQ, Prêmio ANPUR), como pareceristas para agências de fomento (FAPESP, CAPES, CNPq, FINEP), ou como revisores de periódicos de grande circulação nacional (RBEUR, Cadernos Metrópole, Óculum, Mercator, URBE, Paisagem e Ambiente entre outros).

Parte dos docentes tem experiência no setor público, através de cargos comissionados e direção na Prefeitura Municipal de Belém e no Governo do Estado do Pará; assim como em empresas privadas e em organizações não governamentais. A atuação contínua em pesquisa por mais de vinte anos tem favorecido a articulação com outros centros de pesquisa regionais e nacionais, e com o movimento social, e a designação de docentes  como representantes do CAU-BR e no CAU-PA. Neste final de década, as parcerias com pesquisadores em outros campos de conhecimento têm viabilizado a ampliação do escopo dos resultados de pesquisa e a participação de docentes e discentes no desenvolvimento de novas tecnologias e de metodologias voltadas para o enfrentamento de problemas comuns na região (desde a governança territorialaté a produção de materiais adequados às condições climáticas.